Veja o TETRA Pernambucano do SPORT RECIFE

O Sport conquistou o tetracampeonato pernambucano em 2009, de forma invicta, ao segurar o empate em 0 a 0 com o Náutico no último domingo, no estádio dos Aflitos. A campanha, que contou com 19 vitórias e três empates em 22 jogos, consolidou a supremacia do Rubro-negro no estado.

Além de reafirmar a dominação estadual com o 38º título do Campeonato Pernambucano, o Sport atingiu a notável marca de sete turnos vencidos consecutivamente na competição. Apesar da necessidade de uma vitória para forçar uma partida extra, o Náutico iniciou o jogo com quatro zagueiros em campo, no esquema 3-5-2, com o capitão Vagner atuando como volante ao lado de Derlei.

Apesar dos momentos em que sentiu falta de um meia de criação, o time da casa teve maior controle do jogo e criou mais oportunidades de gol. Carlinhos Bala e Gilmar tiveram suas chances dentro da área, mas não foram eficazes nas conclusões.

O time também gerava jogadas perigosas com jogadores de outros setores, e Galiardo e Derley, os dois maiores destaques da equipe na etapa inicial, arriscaram chutes de fora da área que assustaram Magrão.

E o Leão?

O Sport jogava sem pressa, buscando atrair o adversário e explorar o contra-ataque. No entanto, enfrentou uma marcação eficiente do técnico Waldemar Lemos e, principalmente, suas próprias falhas nos momentos decisivos. Mesmo assim, conseguiu criar oportunidades perigosas, principalmente com Wilson e Dutra pelo lado esquerdo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

No segundo tempo, Nelsinho Batista promoveu alterações no Sport, com as entradas de Andrade e Ciro nas vagas de Daniel Paulista e Vandinho. Com maior presença no meio-campo e movimentação no ataque, o Rubronegro equilibrou as ações.

Waldemar Lemos tentou responder com a entrada do meia chileno Daniel Gonzáles, mas a mudança não teve o efeito desejado, pois “El Chucky” teve uma atuação discreta. A partir dos 20 minutos, o Sport, com maior domínio de jogo, passou a controlar a partida, enquanto o Náutico buscava o gol de maneira desorganizada e não conseguia criar nenhuma jogada ofensiva eficaz.

Nos minutos finais, o Náutico fez duas substituições, inserindo mais dois atacantes, Anderson Lessa e Kuki. No entanto, o jogo manteve o mesmo cenário até o apito final do árbitro Heber Roberto Lopes, dando início à celebração da torcida rubro-negra nas arquibancadas do estádio dos Aflitos.