Time do Nordeste entrou na Justiça para receber DINHEIRÃO

Em processo de reestruturação de dívidas, o Sport deu entrada com um pedido na Justiça na última terça-feira para obter autorização para receber o aporte da Liga Forte Futebol (LFF). A liga, em conjunto com o Grupo União, vendeu 20% dos direitos econômicos por 50 anos, em uma transação que foi fechada em cerca de R$ 2,6 bilhões, divididos entre os clubes que compõem o grupo.

Quase metade desse valor, foi efetivamente pago em novembro de 2023. O aporte, que agora será destinado e dividido entre os clubes da Série B do bloco, totaliza R$ 200 milhões.

Em razão da situação de recuperação judicial, o Sport precisa da homologação do juiz do processo para receber o investimento e, posteriormente, prestar contas sobre sua utilização. Existe a expectativa de que ainda nesta quarta-feira o Leão se posicione oficialmente para comunicar o fechamento do negócio.

Entenda a situação

Entretanto, em março, o Rubro-negro ingressou com uma ação de Recuperação Judicial. No mesmo mês, teve o pedido deferido pela Justiça e, ao longo do ano, habilitou credores para consolidar uma lista no dia 27 de julho.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Essa lista foi apresentada, e nela – seguindo o plano de pagamento aos credores com um deságio de 80% – o Sport alegou um passivo líquido de R$ 148,3 milhões, podendo chegar a R$ 350 milhões.

José Luiz Lindoso da Silva e Ana Cláudia Weinberg, responsáveis pela gestão da recuperação judicial do Sport, afirmaram o seguinte:

“Neste sentido, estas auxiliares vislumbram a evidente utilidade da medida pretendida pelo devedor, opinando pela autorização do negócio, ressalvando, portanto, que uma vez autorizado, o clube deve apresentar plano de utilização dos recursos e prestação de contas no processo da efetiva utilização dos recursos.”