Jogador da Seleção de 2006 lembra passagem pelo Sport

O ex-lateral Cicinho, que atuou no Sport entre 2012 e 2013, compartilhou detalhes inéditos sobre sua saída do clube rubro-negro. Em uma entrevista concedida ao canal do Youtube Desimpedidos, o jogador, que é ídolo do São Paulo e já defendeu a Seleção Brasileira e o Real Madrid, afirmou que não renovou seu contrato devido a manobras da diretoria.

Além disso, Cicinho alegou que sua saída do time da Ilha do Retiro também envolveu Eduardo Baptista, que na época era o preparador físico e recentemente havia deixado o comando técnico do Leão.

“Eu fui muito feliz. Fiquei um ano no Sport Recife. Na verdade, a minha saída de lá foi um pouco conturbada por causa da diretoria”, declarou, para completar na sequência. Foi-se tachado na imprensa que eu pedi R$ 500 mil para jogar pelo Sport e era tudo mentira. “

Ganhava pouco?

“Meu salário, na época, era o mais baixo e tudo foi uma armação de diretores que estavam lá. Inclusive, de um ex-treinador que trabalhou lá, que na época era preparador físico, o Eduardo Baptista. Foi todo um complô armado. Era para eu permanecer, mas ai fui para a Turquia”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Em maio de 2013, Cicinho se despediu do Sport, sendo um dos jogadores mais aclamados pela torcida. Naquela época, ele tinha a intenção de permanecer no clube até o final de 2014 e expressou seu desapontamento com a falsa impressão de que teria solicitado valores elevados para a renovação de seu contrato.

“Os comentários são de que pedi um valor muito alto. Isso não é real. O Sport colocou uma condição de trabalho que não me encaixaria. Eu pedi o contrato de um ano e meio. E ele não queria. Existia uma possibilidade de redução salarial e não foi falado da proposta”