Incrível: Sport Recife entrou na Justiça contra os croatas

Em meio a uma crise financeira em 2019, o Sport havia apresentado uma demanda à Fifa, buscando reivindicar 100 mil euros do NK Rudeš, da Croácia. O caso envolvia a transferência de dois jogadores formados na base do Leão: o atacante Wallace, de 22 anos, e o lateral-esquerdo Carlos Henrique, 19, que haviam deixado o clube pernambucano em 2018.

A alegação do Sport era baseada no “mecanismo de solidariedade”, argumentando que tinha o direito ao valor por ser o clube formador. Entretanto, surgiu um problema significativo: para iniciar o processo, o Sport utilizou os contratos dos atletas com o clube croata, uma prática considerada ilegal conforme apontado pelo representante dos jogadores e dos croatas, Flávio Almeida.

Em resposta, ele anunciou a intenção de entrar com um processo criminal contra o Sport, além de pleitear a exclusão do certificado de clube formador do Rubro-negro. Adicionalmente, Flávio Almeida pretendia entrar com uma ação no Ministério Público, alegando fraude processual.

O que disse o Leão?


Ao ser contatado pela reportagem, Eduardo Carlezzo, representante do escritório que defende o Sport, enfatizou de maneira categórica que o clube não enfrenta nenhum risco. Ele refutou a existência de documentação sigilosa e afirmou que, mesmo que o contrato do atleta tenha sido utilizado, o Sport é uma parte envolvida legítima na ação.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Primeiramente é importante esclarecer que são lamentáveis, falsas e sem qualquer fundamento legal as manifestações lançadas por esta pessoa que se diz representante do clube croata.”

A argumentação da defesa dos atletas, representada por Flávio Almeida, fundamenta-se no item 17 do protocolo para a obtenção do certificado de clube formador que relata a necessidade de demonstrar o pagamento mensal de auxílio financeiro ao atleta em formação, sob a forma de bolsa de aprendizagem. Além disso, ressalta que os jogadores deixaram o Sport em 2018, ao término do contrato, sem qualquer contestação por parte do clube pernambucano.