História afirma ser impossível título do Náutico contra o Sport

Em 28 de março de 2004, o Náutico registrou sua última vitória por dois gols de diferença contra o Sport, quando jogava como visitante. Agora, duas décadas depois, o Alvirrubro mira o passado com a esperança de repetir essa façanha, buscando levar a partida contra o rival para a decisão por pênaltis na final do Campeonato Pernambucano.

Naquele confronto válido pelo 2º turno do Campeonato Pernambucano de 2004, o Timbu demonstrou sua superioridade sobre o Sport ao vencer por 3 a 1 na Ilha do Retiro. Na ocasião, Gil Baiano abriu o placar para o Náutico, seguido pelo gol de Batata, enquanto o lendário Kuki contribuiu com mais um tento. Léo Mineiro descontou para o Leão.

De forma curiosa, naquele mesmo ano, o Náutico reverteu um resultado desfavorável na final do Pernambucano. Após perder por 1 a 0 para o Santa Cruz na partida de ida, disputada nos Aflitos, o Timbu se recuperou no Arruda, aplicando uma histórica goleada por 3 a 0 sobre o Tricolor.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Outro tabu

Falando em vitórias fora de casa, o Náutico também enfrenta uma seca contra o Sport, sem vencer o rival em seus domínios há quase cinco anos. Na final do Pernambucano de 2019, o Timbu derrotou o Leão por 2 a 1 na Ilha, após ter perdido por 1 a 0 no jogo de ida realizado em casa.

Embora tenha levado a decisão para os pênaltis, o Alvirrubro não conseguiu superar Mailson e ficou com o vice-campeonato. Além das rivalidades em campo, o Grupo Dislub Equador, que atua no mercado de combustíveis nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste, expandiu seu apoio também ao Náutico, junto ao Sport e ao Santa Cruz.

O CEO do grupo, Sérgio Lins, destacou esse compromisso como uma forma de fortalecer o esporte em Pernambuco, uma paixão que impacta positivamente tantas vidas.