Grande do Nordeste quer chileno EDUARDO VARGAS

A nove dias do encerramento da primeira janela de transferências do futebol brasileiro, o Fortaleza está buscando reforçar o setor ofensivo da equipe comandada por Juan Pablo Vojvoda. Informações indicam que o clube do Pici retomou o interesse no experiente atacante chileno Eduardo Vargas, atualmente no Atlético-MG, e está tentando concretizar a contratação nos próximos dias.

O nome do camisa 11 do Galo já estava sendo monitorado pelo Fortaleza desde o mês passado, mas naquela época as negociações não avançaram. O contrato de Vargas com o clube mineiro se estende até dezembro deste ano, o que pode facilitar um acordo entre as equipes para a liberação do jogador.

O departamento de futebol do Leão analisou o desempenho dos atacantes do elenco nos nove primeiros jogos da temporada, antevê maiores desafios nas próximas competições (Copa do Brasil, Sul-Americana e Série A) e acredita que a equipe precisa de mais uma opção no setor.

Agrega qualidade?

Com um currículo repleto de títulos tanto por clubes quanto pela seleção chilena, Vargas é considerado um jogador versátil que pode atuar pelas laterais e também como referência no setor ofensivo, sendo este último o foco principal, para disputar posição com Lucero e Thiago Galhardo. O jogador de 34 anos também pode desempenhar a função de armador no meio-campo em situações específicas.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Nos anos anteriores, o camisa 11 foi frequentemente utilizado, mas teve um desempenho mais modesto no ano passado, passando grande parte do tempo no banco de reservas. Em 2024, ele participou de duas partidas: na derrota para o Patrocinense-MG e no empate com o América-MG, ambos pelo Campeonato Estadual.

O intervalo entre essas partidas foi de um mês, durante o qual ficou fora da lista de relacionados em algumas ocasiões. Após o jogo contra o América-MG no último sábado, 24, o atacante chileno recebeu elogios do técnico Felipão, que expressou sua intenção de manter a presença do jogador em campo, apesar das críticas.