CRIME: Homem se entrega por atentado ao Fortaleza, mas ninguém faz nada

A Polícia Civil de Pernambuco anunciou hoje que identificou um suspeito que confessou seu envolvimento no ataque ao ônibus do Fortaleza na última quarta-feira, após o jogo contra o Sport na Arena de Pernambuco.

O indivíduo, maior de idade, foi interrogado na segunda-feira e posteriormente liberado, uma vez que não houve prisão em flagrante. Segundo informações da polícia, as investigações continuam em andamento.

No dia seguinte ao incidente, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) comunicou que havia iniciado as investigações e identificado possíveis participantes do ataque. Desde então, foram ouvidas testemunhas, mas até o momento, nenhuma detenção foi realizada.

Comunicado

A SDS não divulgou a quantidade de pessoas identificadas ou ouvidas no caso, mas salientou que entre 80 e 100 pessoas estiveram envolvidas no ataque, caracterizado como premeditado.
“A Polícia Civil de Pernambuco informa que segue com as diligências de investigação do caso e está realizando oitivas de testemunhas e suspeitos. Ontem (26), um deles confessou participação na ação do dia 21/02/24 e continuam as investigações para a identificação dos demais envolvidos.”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Logo após deixarem o estádio da Copa, onde ocorreu o empate com o Sport pela Copa do Nordeste, membros da delegação, diretoria e equipe do Fortaleza foram alvo de bombas e pedras lançadas por torcedores do time pernambucano, identificados como estando “vestidos de amarelo”, conforme relatado pelo CEO do Leão do Pici, Marcelo Paz.

Seis jogadores tricolores foram feridos, necessitando de atendimento em um hospital no Recife. Entre os casos mais sérios, destacam-se o do goleiro João Ricardo, que precisou de seis pontos na cabeça, e do lateral-esquerdo Escobar, que sofreu um trauma cranioencefálico.