CRIME: Piorou a situação dos jogadores do Fortaleza?

O Dr. Cláudio Maurício, diretor de saúde e desempenho do Fortaleza, forneceu uma descrição e esclarecimento, nesta sexta-feira (23), sobre a condição dos jogadores Gonzalo Escobar, Titi, Brítez, Dudu, Lucas Sasha e João Ricardo após o ataque ao ônibus da equipe perpetrado pela torcida do Sport na madrugada de quinta-feira, após o jogo da Copa do Nordeste.

O médico também abordou o protocolo para o retorno às atividades e destacou a importância do suporte psicológico fornecido pelo clube aos jogadores. “O Lucero, que estava do lado dele (Escobar), ficou em estado de choque. Temos que dar suporte a ele.”

“O Escobar foi o mais machucado fisicamente. Além dos cortes na face e na boca, ele teve o trauma cranioencefálico, perda transitória de consciência. Inicialmente ficou na UTI até ser avaliado. Depois foi transferido para outro hospital. Conversamos com ele, está com dor nas regiões machucadas, muito inchado, bem abatido. É uma atleta que será protocolo de, pelo menos, uma semana. É um politrauma, vamos avaliar dia a dia.”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Mais situações

Titi: “Está com um pequeno fragmento – de vidro ou bomba – na região da panturrilha. Vai ser avaliado para ver se a gente localiza para fazer a ressecção. Desconforto e edema na região.”

“Brítez teve as lesões maiores nos dois tornozelos. Um deles bastante inflamado, com acometimento de um próximo ao tendão de Aquiles. Vai fazer avaliação com especialista nesta sexta.”

Dudu: “Está com várias pequenas lesões de fragmento no braço, perna e cabeça. Ainda tem a sequela dos ferimentos.”

Sasha “Várias lesões de fragmentos nas pernas e no braço, mas evolui melhor.”

João Ricardo “Teve leve trauma na cabeça, além do corte, da ferida que ele tem. A ideia da gente é que respeite alguns dias para cicatrização. E evoluir ele na semana também.”