Como foi quando o SPORT processou TORCIDA ORGANIZADA?

O Sport moveu e venceu um processo contra a Torcida Jovem, responsável pelo ataque ao ônibus do Fortaleza na última quinta-feira (22), que resultou em seis jogadores feridos. Apesar da vitória judicial, o clube nunca recebeu a indenização determinada.

O processo teve início em 2015, quando membros da Torcida Jovem se envolveram em uma briga no estádio Couto Pereira durante um jogo contra o Coritiba. Como punição, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva impôs ao clube a perda de um mando de campo e uma multa de R$ 50 mil.

O Sport recorreu da decisão e a Justiça de Pernambuco determinou que a Torcida Jovem arcasse com os danos. No entanto, essa obrigação nunca foi cumprida. A sentença favorável ao Sport foi emitida em 2018, estipulando o pagamento de R$ 575.833,90, incluindo a multa prevista no Código de Processo Civil.

O que aconteceu afinal?

O valor nunca foi quitado, pois a organizada não possui vínculos com instituições bancárias, tornando a execução da indenização um desafio. Um oficial de Justiça conseguiu penhorar apenas cinco camisas como forma de garantia.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“A conduta do réu [Torcida Jovem] acaba por prejudicar a imagem do autor devido à repercussão do caso na mídia, assim como, pelo fato de a torcida ser associada à sua imagem.” – disse juiz Brasílio Antônio Guerra, da Seção A da 2ª Vara Cível da Capital pernambucana.

Em 2021, a execução do pagamento foi interrompida devido à inexistência de bens penhoráveis.
A agressão ao ônibus do Fortaleza perpetrada pela Torcida Jovem do Sport ocorreu na noite da quarta-feira passada, logo após o empate de 1 a 1 entre Fortaleza e Sport na Copa do Nordeste. Projéteis como pedras e bombas foram lançados dentro do veículo durante o incidente.