CEO de time grande fala sobre “tentativa de homicídio” em jogo do Sport

Alexandre Leitão, CEO do Athletico Paranaense, expressou sua posição em relação ao ataque contra a delegação do Fortaleza na última quarta-feira, no Recife. O dirigente referenciou a publicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre o incidente, cobrando uma postura firme e soluções imediatas por parte da entidade.

O ônibus da equipe cearense foi alvo de pedras e uma bomba após a partida contra o Sport, na Arena Pernambuco, resultando em seis jogadores feridos. Leitão escreveu o seguinte em suas redes sociais:
“Lidere! Use sua força política para pressionar as instituições, propor soluções, buscar melhores práticas no mundo. Esse absurdo tem sido cada vez mais corriqueiro dentro do futebol. O que aconteceu ontem foi uma tentativa de homicídio à um dos seus associados.”

Presidente das vítimas

Ao chegar, o CEO do Leão, Marcelo Paz, caracterizou o incidente como “premeditado” e enfatizou que a equipe só retomaria suas atividades esportivas após a devida punição dos responsáveis pelo ato.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“A gente estava trabalhando, não teve hostilidade no jogo e depois aconteceu isso. O Fortaleza só deveria voltar a jogar quando estivesse com os jogadores recuperados, até para dar exemplo. Nossos médicos vão nas casas dos jogadores, porque hoje é dia de descanso. As pessoas que fizeram aquilo não podem passar impunes.”

“Saímos do jogo e, para quem não conhece, a Arena Pernambuco é distante de Recife. Vimos o movimento de torcedores do Sport com camisa amarela e de repente o impacto e jogadores gritando. Vi o Sasha ferido e sangrando, terror, não sabíamos o que tinha acontecido. Tinha uma viatura e seis motos, mas não foi suficiente. Para mim foi um ato premeditado.”