Veja os jogadores que pediram a anulação da Recuperação Judicial do Sport

Dez credores envolvidos na Recuperação Judicial do Sport, incluindo os jogadores Rithely, Neilton, Renteria, Pablo Pardal e Jean Patrick, protocolaram na última terça-feira um pedido incidental na 27ª Vara Cível do Recife solicitando a anulação da RJ. O ponto central da alegação é a venda de 20% dos direitos econômicos do clube à Liga Forte Futebol por R$ 139,2 milhões.

O Sport classifica a iniciativa dos jogadores como uma “aventura jurídica”. Na petição, o advogado Thiago de Souza Rino argumenta que o montante é suficiente para quitar toda a dívida declarada na Recuperação Judicial (R$ 76.777.552,49), questionando a necessidade de aplicar os deságios indicados na RJ, o que invalidaria o propósito do instrumento.

A ação também alega que o Sport já recebeu R$ 68 milhões referentes à venda dos direitos para a Liga Forte Futebol. Em outubro passado, a diretoria rubro-negra recorreu à Justiça buscando autorização para receber o investimento.

Situação

Dado que o Sport está em processo de recuperação judicial, a aprovação do juiz é essencial para que o clube receba o investimento e, posteriormente, preste contas sobre sua utilização. Entre o final de julho e o início de agosto, o Sport iniciou negociações com credores para antecipar pagamentos de dívidas dentro do processo de recuperação judicial, obtendo sucesso. Mais de 50 acordos foram concluídos, resultando na redução de R$ 120 mil em débitos pendentes.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“O que o Sport recebeu e vai receber por meio deste contrato com a Liga Forte Futebol, paga integralmente e sem deságio todos os credores habilitados na RJ e ainda sobra um saldo positivo de Sessenta e dois milhão ao clube. Desta forma, com um simples cálculo matemático, verifica-se que perdeu o objeto a presente Recuperação Judicial.”

“Permitir a continuidade da presente Recuperação Judicial para pagamento com deságio aos credores seria a legalização do calote, visto que o clube tem todo o valor para pagar os credores integralmente.”