Veja o acordo na JUSTIÇA que o SPORT fez com o goleiro Magrão

Depois de ingressar com um processo judicial buscando rescisão indireta de contrato devido a salários atrasados, o goleiro Magrão e o Sport chegaram a um acordo na tarde desta terça-feira. Inicialmente pleiteando R$ 5.016.083,16 do clube rubro-negro em uma ação trabalhista, o ídolo e o Leão chegaram a um consenso, reduzindo o valor para R$ 1.875.000,00.

A quantia acordada será parcelada em 44 prestações fixas a partir do próximo mês, cada uma totalizando R$ 42.613,66. Além disso, o contrato do goleiro com o Leão será rescindido imediatamente.

Em 21 de junho de 2019, durante a reapresentação do Sport para a preparação visando o retorno à Série B, Magrão não compareceu ao Centro de Treinamento João de Andrade Médicis, gerando dúvidas sobre seu repentino desaparecimento.

O que se definiu?

Após dias de silêncio do atleta, tornou-se público que ele havia acionado judicialmente o Rubro-negro, alegando salários atrasados, falta de recolhimentos do FGTS, direitos de imagem, férias, 13º e premiações, totalizando R$ 5.016.083,16.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O impasse, que tramitou na 10ª Vara do Trabalho de Recife, foi resolvido nesta terça-feira, com o clube e o advogado de Magrão, Leonardo Laporta, anunciando a proximidade de um acordo na última semana. Agora, o acordo foi finalizado, ajustando a quantia para R$ 1.875.000,00, a ser paga em 44 parcelas.

Na ocasião, o goleiro optou por encerrar sua carreira após o término do contrato com o clube, escolhendo não se transferir para nenhuma outra equipe. Em uma entrevista concedida ao repórter João Victor Amorim, da Rádio Jornal, o atleta revelou ter recebido propostas de clubes como o América-MG, equipes de São Paulo e até mesmo do rival Náutico.