Vazou os técnicos gringos da história do SPORT RECIFE

Sob a liderança do argentino Mariano Soso, o Sport conquistou o título pernambucano, marcando um retorno triunfante de um técnico estrangeiro ao comando do clube após 66 anos. Anteriormente, seu compatriota Dante Bianchi havia guiado o Leão à vitória em 1958.

A trajetória vitoriosa do Sport no Estadual de 2024 foi marcada por uma campanha sólida, culminando na superação do Náutico em dois jogos decisivos: uma vitória por 2 a 0 no jogo de ida e um empate em 0 a 0 na partida de volta, ocorrida no último sábado, na Arena de Pernambuco.

Ao longo de sua história, o Sport teve 11 treinadores estrangeiros, a maioria deles atuando até a década de 1960, período em que a presença de comandantes estrangeiros nos clubes pernambucanos era bastante comum (veja a lista abaixo).

Todos nomes da história

Foi durante essa era que o argentino Dante Bianchi deixou sua marca, sendo o técnico estrangeiro que mais tempo permaneceu à frente do Sport. Ele dirigiu o Leão de 1956 a 1959, retornando brevemente em 1965 e 1969.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Além do título em 1958, Bianchi também conduziu o clube à conquista do campeonato em 1956. Antes de Soso, o último estrangeiro a comandar o Sport foi o paraguaio Gustavo Florentín, que esteve à frente do time em 2021 e 2022. Curiosamente, Florentín deixou o clube no meio do Campeonato Pernambucano de 2022.

  1. Gustavo Florentín (2021) – Paraguai
  2. Pedro Rocha (1989) – Uruguai
  3. Filpo Núñez (1983) – Argentina
  4. Raúl Bentancor (1963) – Uruguai
  5. Dante Bianchi (1956 a 1959; 1965 e 1969) – Argentina
  6. José Fiorotti (1953) – Uruguai
  7. Salvador Perine (1949 e 1953) – Uruguai
  8. Ricardo Díez (1941 e 1947) – Uruguai
  9. Valentín Navamuel (1938; 1942 a 1943) – Argentina
  10. Carlos Viola (1928) – Uruguai
  11. Pedro Mazullo (1919) – Uruguai