Treinador do Sport tentou ser candidato a Senador

O ex-técnico de futebol Vanderlei Luxemburgo havia anunciado antes da eleição de 2023 a desistência de concorrer a um cargo eletivo nas Eleições de 2022. A decisão ocorreu horas depois que o Partido Socialista Brasileiro (PSB), ao qual era filiado, rejeitou seu nome como candidato ao Senado por Tocantins.

Em uma nota enviada à imprensa, Luxa detalhou os eventos desde sua filiação ao PSB até o resultado da convenção, que escolheu Carlos Amastha, ex-prefeito da capital Palmas, para a disputa pela vaga.

“Num primeiro momento, ao ser apunhalado pelas costas, ameacei processar o partido. Vocês sabem como é ter um sonho roubado das mãos? Mas, a essa altura, não vou atropelar a candidatura de companheiros com quem firmei compromissos e que já têm trabalho desenvolvido. Eu desejo aos companheiros do PSB o melhor: que mantenham os ideiais de trabalhar pelo povo do Tocantins.”

Luxemburgo afirmou ter recebido aval de Amastha, como presidente do partido no estado, e do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, para buscar o Senado em sua primeira incursão na carreira política. Após ter seu nome preterido, considerou “impensável permanecer aliado a traidores” e declarou que não participaria de nenhuma disputa eleitoral naquele ano.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Baixaria?

Durante o evento do partido, o ex-técnico de futebol entrou em discussão com correligionários devido a discordâncias durante a disputa, e após o anúncio do resultado, ocorreram discussões entre apoiadores dos dois pré-candidatos.

Amastha inicialmente era pré-candidato à Câmara dos Deputados, mas, em virtude de pesquisas indicando sua viabilidade eleitoral na disputa pelo Senado, colocou-se à disposição do partido.

Conforme a pesquisa mais recente divulgada naquela quarta-feira (3) pelo Instituto RealTime Big Data, Luxemburgo contava com 11% das intenções de voto para o Senado, enquanto Amastha registrava 17% no mesmo levantamento. Em ambos os cenários, a líder era a deputada federal Professora Dorinha (União Brasil).

Luxemburgo havia se filiado ao PSB em março de 2023, e a disputa pela vaga do Tocantins no Senado seria sua primeira incursão em cargos eletivos. A solenidade, realizada em Brasília, contou com a presença de Carlos Amastha como presidente do partido no estado. Antes dessa filiação, Luxa era membro do PT.