Time ameaça só jogar se SPORT for severamente punido

O Fortaleza chegou à capital cearense nesta quinta-feira após o incidente contra a delegação tricolor em Recife. Após o empate contra o Sport, pela Copa do Nordeste, o ônibus do Leão foi alvo de um ataque com pedras, resultando em seis jogadores feridos.

No desembarque, o CEO do clube, Marcelo Paz, caracterizou o incidente como “premeditado” e afirmou que a equipe só deveria retomar as atividades esportivas após a devida punição dos responsáveis. Marcelo também abordou a situação dos jogadores feridos, sendo João Ricardo e Escobar os casos mais graves.

“A gente estava trabalhando, não teve hostilidade no jogo e depois aconteceu isso. O Fortaleza só deveria voltar a jogar quando estivesse com os jogadores recuperados, até para dar exemplo. Nossos médicos vão nas casas dos jogadores, porque hoje é dia de descanso. As pessoas que fizeram aquilo não podem passar impunes.”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Mais aspas

“Saímos do jogo e, para quem não conhece, a Arena Pernambuco é distante de Recife. Vimos o movimento de torcedores do Sport com camisa amarela e de repente o impacto e jogadores gritando. Vi o Sasha ferido e sangrando, terror, não sabíamos o que tinha acontecido. Tinha uma viatura e seis motos, mas não foi suficiente. Para mim foi um ato premeditado.”

“A nossa preocupação inicial foi de socorrer os ferimentos. O Escobar foi quem mais se lesionou, fomos para o hospital, fazer B.O. Acho importante falar que o João Ricardo está com seis pontos na cabeça.”

“O Escobar está com 13 pontos e trauma cranioencefálico. O Fortaleza não tem condições de jogar, só pode voltar a jogar quando esses atletas estiverem recuperados. Tem que punir, tem que ter uma reação de verdade, não nota de repudio.”