SPORT RECIFE comemorou título de Pernambuco zoando CARLINHOS BALA

Em 2010, em uma partida disputada, o Sport venceu o Náutico por 1 a 0, assegurando o pentacampeonato pernambucano devido ao critério de gols marcados fora de casa. Diferentemente dos anos anteriores, nos quais dominou ambos os turnos do Estadual sem a necessidade de uma final, desta vez, o Leão teve que enfrentar uma decisão devido à nova fórmula de disputa do torneio.

No primeiro confronto, a derrota por 3 a 2 colocou o time rubro-negro sob grande pressão. No entanto, o gol de Leandrão, na quarta-feira, na Ilha do Retiro, garantiu mais um título para a equipe. Além de conquistar o campeonato, o Sport encerrou uma série de seis jogos sem vitória sobre o Náutico.

Mas mais significativo do que isso, o clube deu um passo importante em direção ao hexacampeonato pernambucano, um grande sonho dos torcedores, considerando que apenas o Timbu alcançou tal feito até então.

O jogo

Este foi o segundo pentacampeonato do Sport, repetindo o feito alcançado entre 1996 e 2000. No total, esta foi a 39ª conquista estadual do clube rubro-negro. Na celebração, os jogadores do Leão usaram coroas para ironizar a declaração de Carlinhos Bala, que se autodenominou “rei de Pernambuco” após a vitória sobre o Santa Cruz nas semifinais.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

No primeiro tempo, em meio a poucas chances claras de gol para o Timbu, aos 21 minutos, Bruno Meneghel conseguiu se destacar ao subir mais alto que a zaga rubro-negra, porém seu cabeceio saiu desviado. Pouco tempo depois, aos 23 minutos, Leandrão arriscou um chute de longa distância, exigindo uma boa defesa de Gledson.

O atacante teve outra oportunidade aos 28 minutos e, desta vez, não desperdiçou. Após um chute forte de Ciro, o goleiro alvirrubro defendeu, mas Leandrão aproveitou o rebote e abriu o placar. No entanto, logo após o gol, Leandrão sentiu uma fisgada na coxa e precisou ser substituído, sendo César o escolhido para reforçar a defesa.

Os minutos finais da partida foram marcados por um clima de drama. Aos 45 minutos, Daniel Paulista foi expulso e o Náutico partiu para o “tudo ou nada” em busca do gol do título. No entanto, o Sport conseguiu se segurar e garantir mais um troféu para sua galeria.