Palmeiras tinha dívida de 48 milhões por ex-Sport Recife

Na última temporada, o Palmeiras liquidou uma das dívidas mais peculiares de sua história, relacionada à contratação do volante Wesley em 2012, durante a gestão de Arnaldo Tirone e Roberto Frizzo.

Em 2021, o Verdão chegou a um acordo com o empresário Antenor Angeloni. Além de efetuar um pagamento inicial de R$ 20 milhões (proveniente da venda de Moisés), o clube comprometeu-se a realizar 20 parcelas de R$ 1,4 milhão para quitar os R$ 48 milhões devidos ao fiador do negócio.

Na época da contratação de Wesley, a diretoria tentou realizar uma arrecadação junto à torcida, mas o projeto não obteve sucesso. Por esse motivo, Tirone e Frizzo buscaram a ajuda de Antenor Angeloni, ex-presidente do Criciúma, que financiou a contratação e atuou como fiador. Diante da inadimplência alviverde, o empresário recorreu à Justiça. Embora a dívida tenha ultrapassado os R$ 60 milhões, as partes chegaram a um acordo de R$ 48 mi.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Wesley, muito criticado pela torcida, permaneceu no Palmeiras até o término de seu contrato em dezembro de 2014, quando saiu sem custos para o São Paulo. Recentemente, anunciou sua aposentadoria.

Passagem pelo Sport Recife


Wesley teve uma passagem pelo Sport em 2017 e foi liberado ao término do ano. O volante, que era considerado um dos nomes de destaque do clube pernambucano, não conseguiu conquistar a simpatia da torcida.

Curiosamente, a contratação de Wesley foi um pedido pessoal do ex-treinador do clube, Vanderlei Luxemburgo. Pelo clube rubro-negro foram 9 jogos, todos pelo Campeonato Brasileiro, e nenhum gol ou assistência assinalados.