LUTO: Faleceu a torcedora mais ilustre do SPORT RECIFE

Dona Maria José, na sua despedida, realizou seu sonho. As sirenes do Corpo de Bombeiros cruzaram a Ilha do Retiro. Pioneira nas arquibancadas desse estádio, a torcedora símbolo faleceu aos 98 ano O velório aconteceu no clube, com homenagens e sendo carregada por torcedores dos três clubes do estado.

Nascida em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, e enfrentou o abandono dos pais na infância. Ela reivindicou seu espaço nas arquibancadas da Ilha do Retiro quando mulheres como ela nem sequer eram bem-vindas no futebol. Vivia com as cores rubro-negras, vestida dos pés à cabeça, tornando-se uma extensão viva do clube.

Com sorriso no rosto, trajando as cores rubro-negras, segurando uma sombrinha nas mãos e dançando ao som do frevo, Dona Maria se tornou um símbolo da torcida. Sua imagem estampava estandartes em blocos de Carnaval, camisas e bandeiras.

Luto eterno

No dia de sua despedida, um bandeirão foi estendido sobre a arquibancada da Ilha do Retiro, balançando ao vento entre as estruturas do estádio – seu lugar favorito no mundo. Ao lado, a palavra que a define: resistência. Dona Maria recebeu homenagens de torcedores do Sport, Santa Cruz e Náutico, como o capitão Rafael Thyere, o time de futebol feminino e o presidente Yuri Romão.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Dona Maria viveu sozinha até os 97 anos, quando se mudou para um abrigo de idosos. A última vez que Dona Maria esteve na Ilha do Retiro foi em 20 de maio de 2023, testemunhando uma multidão de 18.233 mulheres, crianças e pessoas com deficiência pulsando nas arquibancadas, em uma tarde histórica para o clube e para ela própria.

“Quando eu morrer, quero sair do Sport e ir em um caminhão do corpo de Bombeiros, passar pelo Palácio do Governo até chegar no cemitério. E quero ser enterrada na frente, não é atrás não. Porque quando o negro morre, enterram lá no fundo. E eu tenho muito orgulho da minha cor.”