LUCAS LIMA do SPORT e SANTOS vive drama familiar?

Em fevereiro, o Sport Recife oficializou a apresentação dos jogadores Lucas Lima e Christian Ortiz como reforços para a temporada de 2024. O ponta foi uma solicitação do técnico Mariano Soso, enquanto o meia retorna à Ilha do Retiro após uma ausência de 11 anos.

Durante a coletiva, Lucas Lima abriu seu coração e compartilhou sobre a motivação por trás da não aceitação imediata da proposta do Sport, revelando um problema familiar que o fez demorar a pronunciar o tão aguardado “sim” para o Leão.

“Faltando uns dois meses para terminar o ano, o meu irmão sofreu um acidente. Questão vida ou morte, uma coisa muito séria. Pouca gente soube. Abri para poucos para não parecer desculpa. Quando o Sport me procurou, foi numa semana importante, o meu irmão estava se recuperando, mas tinha mais uma operação para fazer. Mas desde a primeira vez que os empresários falaram que era o Sport, eu já sabia da minha situação no Santos, eu não poderia dizer não.”

Empolgação para a temporada

Como destaque da equipe rubro-negra nesta temporada, o ex-jogador do Santos expressou toda a sua empolgação ao vestir novamente a camisa do Leão, destacando seu desejo de construir uma história ainda mais significativa do que a primeira.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Só esperei esse tempo da recuperação, e logo que isso acabou, eu mesmo liguei para o Sport e falei: ‘quero ir, é um desejo do meu coração, está tudo bem aqui em casa, vou poder me entregar 100%”

“Nos últimos anos eu tenho jogado, tenho bons números, talvez eu não tenha tantos gols, mas tenho bons números de jogos, de participações, tem estatísticas que poucas pessoas veem. Sei de toda a expectativa do clube e da torcida, mas a palavra chave é ter humildade para trabalhar todos os dias.”

“A minha motivação é está vestindo esse escudo. Há onze anos eu vesti essa camisa, eu senti o gosto foi uma das primeiras sensações minha, como um jogador que joga em estádio lotado, que vence, que é cobrado, que sabe o peso que a torcida tem, sabe a história do clube. Foi um ano muito feliz, mas não vai entrar isso nas estatísticas deste ano”.