Justiça proibi suspeitos de atentado contra o Fortaleza de irem aos jogos

Em um desdobramento recente, a Justiça proibiu os sete suspeitos de participação no atentado contra o ônibus do Fortaleza de comparecerem aos jogos do Sport. O incidente ocorreu em fevereiro deste ano, quando o veículo que transportava a delegação do Fortaleza foi atacado após uma partida na Arena de Pernambuco.

Decisão da Justiça

Os suspeitos, que estavam presos de forma temporária por 30 dias, foram soltos após a Justiça entender que não havia necessidade de mantê-los em prisão preventiva. No entanto, foram impostas medidas cautelares rigorosas para garantir a segurança e a ordem pública.

Entre essas medidas, destaca-se a proibição de comparecer a jogos do Sport, além de outras restrições:

  • Não se ausentarem da Região Metropolitana do Recife por mais de 15 dias sem prévia comunicação à Justiça.
  • Comparecimento bimestral em juízo para atualização de endereço.
  • Afastamento imediato da Torcida Jovem do Leão e proibição de se reunirem com outros integrantes da agremiação.
  • Impossibilidade de participação em grupos virtuais da Torcida Jovem do Leão.
  • Impossibilidade de comparecimento presencial aos jogos do Sport em qualquer estado do país.
  • Proibição de contato com as testemunhas do caso.

O descumprimento de qualquer uma dessas condições pode resultar na revogação do benefício e na decretação de prisão preventiva.

A decisão judicial ocorre dias antes do próximo confronto entre Sport e Fortaleza, que se enfrentarão novamente na Arena de Pernambuco pela semifinal da Copa do Nordeste. Esse será o primeiro encontro entre as equipes após o ataque de fevereiro, aumentando a preocupação com a segurança.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Uma reunião entre órgãos de segurança de Pernambuco, dirigentes dos clubes e das federações estaduais está marcada para esta quarta-feira (22) para discutir medidas de segurança adicionais.

O Delegado Antônio Barros , gestor do Comando e Operações e Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil de Pernambuco afirmou que: “O posicionamento da Polícia Civil de Pernambuco é pela prisão dos indiciados pelos fatos graves que foram cometidos, mas precisamos deixar registrado o nosso respeito pelas decisões do Poder Judiciário. Nós entendemos que as medidas cautelares são importantes também para inibir atividades delituosas ligadas às torcidas organizadas,”.

Entenda o Caso

O ataque ao ônibus do Fortaleza aconteceu em 21 de fevereiro, após o empate entre Sport e Fortaleza pela Copa do Nordeste. Seis jogadores do Fortaleza ficaram feridos, sendo o caso mais grave o de Gonzalo Escobar, que levou uma pancada na cabeça de um estilhaço.

A Operação Hooligans foi deflagrada em 15 de março e resultou na prisão de sete suspeitos ligados à Torcida Jovem do Leão, incluindo seu presidente e vice.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) inicialmente puniu o Sport com oito jogos de portões fechados, mas depois reduziu a pena para quatro jogos com apenas 25% da Arena de Pernambuco fechada. O Sport já cumpriu essa punição e agora busca focar nos próximos desafios dentro e fora de campo.