GIGANTE de Pernambuco quer virar SAF agora mesmo

Com a ausência de competições para disputar em 2024, a principal preocupação dos torcedores do Santa Cruz, gigante de Pernambuco, é a transição do clube para uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF). De acordo com o presidente Bruno Rodrigues, esse tema é a principal prioridade da gestão, que almeja fechar parcerias com investidores ainda este ano, sem comprometer o patrimônio do clube.

Em relação à conversão em SAF, Bruno Rodrigues ressaltou o desejo de adotar um modelo que não envolva a venda do patrimônio físico do Santa Cruz. Em 2023, surgiram especulações sobre o interesse de um fundo de investimento internacional associado ao Newcastle, da Inglaterra, em adquirir a SAF do Santa Cruz.

O presidente não descartou essa possibilidade para o futuro e destacou o potencial do Tricolor do Arruda para se tornar a “melhor SAF do Brasil”.

“É prioridade nossa fazer a SAF ainda este ano. Eu tive várias reuniões conversando com investidores. A gente tem avançado, descartado algumas que não tem opção. Sabemos que a torcida apoia fazer a SAF imediatamente. Existem modelos diferentes. Vamos tranquilizar o torcedor que a gente vai trabalhar para viabilizar a SAF ainda esse ano.”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Mais detalhes

“A gente parte do princípio do modelo de separar o patrimônio da SAF: nosso estádio e área social. Essa é nossa expectativa em conversas internas. Com relação a propostas de outros clubes internacionais, não podemos avançar muito por questões de sigilo. “

“Em 2023 houve alguns investidores interessados. Eu digo ao mercado que, comercialmente falando, investir no Santa Cruz é a melhor SAF do Brasil. Estamos buscando com muita calma e tranquilidade e transparência.”

Diante da crise financeira, o Santa Cruz encontra-se em processo de recuperação judicial desde o final de 2022. Bruno Rodrigues enfatiza a importância da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) como uma ferramenta crucial para o clube desenvolver um plano de pagamento e superar suas dificuldades financeiras.

“Estamos em recuperação judicial e todos os movimentos que fazemos, temos que prestar contas. Todo o recurso que entra no clube é prestado contas à Justiça. A SAF é importante para que façamos um plano, que seja aprovado pelo Conselho e possa ser apresentado junto aos investidores.” – disse, o mandatário.