Copa do Brasil: SPORT RECIFE não quer que adversário venda o mando de campo

A CBF já definiu o local da partida, mas o clube amapaense tem até esta sexta-feira (16) para tomar a decisão final sobre a escolha. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou na noite desta quinta-feira (15) que o duelo entre Trem-AP e Sport pela Copa do Brasil ocorrerá no estádio Zerão, em Macapá, às 21h30.

No entanto, o diretor do clube amapaense, Bruno Caldas, informou que o clube tem até esta sexta-feira para mudar o local da partida. Apesar do desejo de levar o jogo para João Pessoa, a falta de interesse por parte do Sport tem gerado frustração na diretoria do Trem-AP.

O diretor do clube amapaense detalhou a situação atual, destacando que, se o confronto ocorrer no estádio Zerão, o Leão da Ilha terá que percorrer 2.542,5 quilômetros. O Trem-AP também recebeu propostas de outros lugares, mas só tem interesse em transferir o mando para um estado do Nordeste.

Veja o que foi dito

“Estou um pouco decepcionado pela falta de determinação do Sport para a gente fechar o negócio. O Trem-AP cedeu em todas as possibilidades que poderia para deslocar o jogo para João Pessoa, que seria o mais viável para eles por conta de logística.”

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Era o que o Sport queria, porque diminui os riscos de cansaço, logística de viagem, dificuldade no gramado da gente aqui que é muito ruim. Só que o prazo para a gente comunicar essa mudança a CBF acaba nesta sexta-feira (16), e sigo aqui me dedicando, mas está faltando isso no lado do Sport.”

“Hoje a perspectiva é essa (jogo mantido no Amapá). Porém, temos a possibilidade de levar o jogo para Paragominas, no Pará, mas não achamos interessante. Só teríamos interesse em levar o jogo para o Nordeste. Fora isso, faremos o jogo aqui. Eu me decepcionei um pouco pela expectativa que foi criada, o Sport mostrou interesse, mas as coisas não evoluíram como deveriam evoluir. Agora temos que buscar o que é melhor pra gente.”