André Balada “mete” Romário no banco e vira artilheiro do Cariocão

“Oba, oba, mais um gol do Balada!”. O canto ecoa nas arquibancadas do América-RJ, embalando a redenção de um jogador que já foi promessa, viveu altos e baixos, e agora busca glória na reta final da carreira.

André Felipe, o “Balada”, ex-jogador do Sport é o novo xodó da torcida do Mecão e o artilheiro implacável da Série B do Campeonato Carioca nesta temporada.

Aos 33 anos, Balada vive um sopro de juventude no América-RJ. Mas essa história quase teve um fim melancólico. Em 2023, após uma passagem apagada pela Ponte Preta, o atacante pensava em pendurar as chuteiras. Mas o destino tinha outros planos.

Em uma festa, Balada teve um encontro improvável com o baixinho, Romário. O ídolo do futebol brasileiro, que na época assumia o comando do América-RJ, convidou o atacante para se juntar ao projeto de levar o Mecão de volta à elite do futebol carioca.

“Eu tava pensando em me aposentar”, confessou Balada ao canal Cartoloucos no YouTube. A ligação de Romário o fez repensar seus planos. E a decisão não poderia ter sido melhor.

Balada renasceu no América-RJ. Em apenas três jogos como titular na Série B do Carioca, já são 5 gols e uma assistência. O atacante marcou em todas as partidas e ajudou o Mecão a se isolar na liderança da competição, com três vitórias e um saldo de gols positivo de sete.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Momento de André Balada

As boas atuações renderam ao jogador não apenas o carinho da torcida, que já criou até música para ele, mas também a posição de titular absoluto no ataque do América-RJ. Romário, que também joga na equipe, tem ficado mais no banco dando lugar a André. Afinal, o baixinho já é tão jovem assim.

Será que Balada vai conseguir repetir os tempos de glória que viveu no Sport, onde foi peça fundamental para a melhor campanha do Leão em pontos corridos da história? Só o tempo dirá.

Mas uma coisa é certa: o atacante está aproveitando ao máximo essa nova chance na carreira e mostrando que ainda tem muito futebol para dar.

A redenção de Balada é um exemplo de que a superação e a persistência podem levar a um final feliz, mesmo quando tudo parece perdido.

Aos 33 anos, o atacante busca sua última grande glória no futebol. E quem sabe, com fome de bola e a bênção do baixinho Romário, ele consiga alcançar o tão sonhado título com o América-RJ.