Polêmica: Presidente do SPORT diz que pessoa importante só quer fama

O presidente do Sport, Yuri Romão, considerou “descabido” o pedido de proibição de jogos de futebol em Pernambuco feito por Mauro Carmélio, presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), após o atentado ao ônibus do Fortaleza.

A solicitação foi protocolada junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Yuri Romão, em resposta, sugeriu alternativas mais “responsáveis” em relação ao futebol no estado.

“O pedido foi meio descabido. Acho que talvez até pelo clamor da sociedade, o presidente Mauro quis aproveitar o momento para também ter lá seus cinco minutos de fama. É descabido, não é por aí, as torcidas organizadas de Pernambuco são tão violenta quanto as organizadas do Ceará. Se tiver que punir dessa forma, tem que começar a punir lá também.”

O que será realizado?

No pedido feito pela Federação Cearense de Futebol (FCF), a proibição do uso dos estádios de Pernambuco seria mantida “até que os órgãos públicos comprovem que podem garantir a mínima segurança dos times visitantes, o que não tem se demonstrado até o momento”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Acho que não é por aí, a gente precisa discutir de forma séria, responsável, quais medidas estão no âmbito dos clubes e de que medidas o poder público, as secretarias de segurança pública dos estados, o poder judiciário e o Ministério Público podem atuar e nos ajudar no enfrentamento em relação à violência.” – continuou o presidente.

Recapitulando, na terça-feira, 27, a Federação Cearense de Futebol formalizou um pedido ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para que os jogos em Pernambuco sejam interrompidos até que a segurança das equipes visitantes seja “efetivamente comprovada”.

A Federação solicita a suspensão de “todas e quaisquer” partidas de competições sancionadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), independente da equipe mandante, até que a segurança das equipes visitantes seja comprovada pelo poder público de Pernambuco.