Ex-Sport meteu 3 gols em plena Copa do Mundo

204784030

Incentivada por seu pai desde cedo a praticar futebol, Ary destacou-se nos campos em tenra idade. Ingressou na categoria juvenil do Centro Olímpico-SP e, posteriormente, foi encaminhada ao Sport pelo treinador Jonas Urias. Consagrada como campeã pernambucana em 2017 e 2018, Ary Borges teve passagens por São Paulo e Palmeiras, e atualmente, atua pelo Racing Louisville, nos Estados Unidos.

Sua trajetória profissional evidencia uma construção sólida de carreira, incluindo base, profissionalização, transferências nacionais e experiência internacional, moldando-se em um cenário que teve início com o êxito de Sissi, mesmo antes do nascimento de Ary. A consolidação desse processo pode ser a peça-chave para um ciclo de sucesso na Seleção Feminina.

Ary Borges, aos 23 anos, vivenciou sua estreia em uma Copa do Mundo adulta. Vale ressaltar esse fato, pois a maranhense já participou do Mundial Sub-20 em 2018, na França, onde inclusive marcou um gol. Naquela competição de categoria júnior, ela representava o Sport, onde deu seus primeiros passos vestindo a camisa verde e amarela.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Estreia com hat-trick

No primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo, a atleta marcou três gols na vitória por 4 x 0 sobre o Panamá, diante de 13 mil torcedores em Adelaide. Em uma partida com amplo domínio da equipe brasileira, Ary demonstrou sua presença na área ao aproveitar três cruzamentos aéreos vindos da esquerda. Além disso, contribuiu com uma assistência para Bia Zaneratto.

“Meu pai conta que queria um menino para jogar futebol com ele, então amou ser uma menina que amava jogar futebol. Meu pai foi uma pessoa muito ativa no processo. Depois que a gente se conheceu, ele me levava para jogar. Acordava cedo para me levar. Descobriu o Centro Olímpico, meu clube formador. Minha família foi um diferencial muito grande.”

Ary fez sua estreia na Seleção Brasileira principal em 2020, participando da conquista da Copa América de 2022, realizada na Colômbia. Sua convocação para a primeira participação em uma Copa do Mundo surgiu de forma natural, refletindo o desempenho destacado que a jogadora vinha apresentando em campo.